«

»

out 31

VIAJAR PARA A ESTRADA REAL: As preciosidades dos caminhos da Estrada Real

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Entardecer em Diamantina, MG.

Essa é a viagem para quem gosta de gente, de natureza, de comidinha gostosa, de ouvir muitos “causos”, de tomar uma cachacinha de cabeça, de visitar igrejas, museus, mergulhar na história do Brasil, de ver montanhas, cachoeiras, de quem gosta de um povo tranquilo, que ama comer queijo e tomar um cafezinho …

Passear pela Estrada Real e interagir com seus personagens parecem acalmar o coração, faz a gente entrar em um ritmo mais devagar e apreciar as coisas boas, simples e mais importantes da vida, sabe?

Esse post representa o início da nossa conversa, que será longa, sobre a magia da “Estrada” ou das “Estradas” Reais. Para começo de história, vamos sobrevoar as principais coisas que você precisa saber para planejar suas futuras borboleteadas por lá! Já que nosso roteiro de hoje é abrangido, na maior parte, pelo Estado de Minas Gerais, o leitor já me dê as escusas porque meu mineirês num tá guentando aqui… hehehe

E aí, vamos começar a borboletear por esse mundo mágico?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Toda a Estrada Real é marcada com esses pilares. Cada um indica a posição e conta a importância do local para a história! É muito legal ficar colecionando esses pilares!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Lindas paisagens que caem bem com poesias, bons papos e trilha sonora!

O que é/são a/as Estrada/s Real/ais ?

O conceito “Estrada Real” surgiu da necessidade fiscalizatória por parte do governo português em controlar o escoamento da imensa produção de gemas e minerais valiosos da colônia Brasil, com o objetivo de garantir que ela chegasse à metrópole a mais preservada possível. Dessa forma, foram criados caminhos oficiais, nos quais a produção deveria passar para receber um selo real, a fim de se assegurar que a carga havia sido fiscalizada e preservada para enriquecer os cofres do rei de Portugal, ou ainda, que já havia sido descontada a parte do monarca traduzida em impostos nada camaradas. Assim, tudo deveria ser “(en)caminhado” e não “(des)caminhado”. A brincadeira com as palavras remete ao crime de descaminho, art. 334-A, do Código Penal brasileiro, que tem como objeto a proteção da ordem tributária. Olha só as origens do negócio aí… hehehe

Para se ter apenas uma vaga ideia do quanto o Brasil foi explorado, isso excluindo vários fatores, a lavra de diamantes no Arraial do Tijuco, atual Diamantina, rendeu à Coroa portuguesa, entre os anos de 1740 a 1771, 1.666.569 quilates de diamantes. Quilate, quando se trata de pedras preciosas, diferente do ouro que se refere à pureza, equivale a 200 miligramas da pedra (0,2g). Assim, fazendo uma continha básica, obtemos 333.313,8 quilos de diamante, retirados do Brasil em apenas 31 anos!!! Dá próxima vez que você admirar as vitrines da Cartier ou Tiffany, com aquelas bijoux lindas com uma merrequinha de diamante, lembre-se disso!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O tal “Ouro Preto”, mas de São João del Rey!

Bem, que o tal caminho real existia é fato, mas ninguém sabe, ao certo, até hoje, quais eram as rotas reais e oficiais, variando de região. Pelo menos, sabe-se que o trecho abrangia 1.400 km por entre as Serras Gerais das Minas Gerais, a Serra da Mantiqueira, em São Paulo, e a Serra do Mar no Rio de Janeiro.

Passados quase de 300 anos, atualmente o que conhecemos por “Estrada Real” é um projeto turístico que cresce a cada dia. É uma marca bem trabalhada por 177 municípios dos Estados de Minas Gerais (162), São Paulo (8) e Rio de Janeiro (7), que tem como objetivo principal a promoção do turismo, cultura e desenvolvimento dessas regiões. Assim, integrar esse projeto é um privilégio ao município, mas às vezes força-se a barra. É, por isso, que, por diversas vezes ao longo do percurso, você verá: olha essa aqui é a casa que D. Pedro I parou para dormir ou fazer um pipi, e é isso.

Mas não apenas a importância histórica está por trás do passeio. O projeto “Estrada Real” começou desde 1999, com a criação do Instituto Estrada Real, o qual foi copiado em várias regiões do Brasil para o desenvolvimento do turismo. Muitos parabéns à ideia, que vem capacitando pessoas em todas as áreas para servir a você, visitante. Melhores estradas, hotéis, restaurantes, experiências, restaurações, eventos, tudo para fazer realidade ao ditado: “Oh, Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais”! Claro que há muitas coisas para melhorar, principalmente a parte da preservação dos monumentos que compete aos governos estaduais e à Igreja/Vaticano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Marco da Estrada Real em Paraty.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Enorme Marco da Estrada Real entre Tiradentes e São João del Rey.

Assim, basicamente, dentro desse “projeto Estrada Real” há oficialmente três caminhos que podem ser desbravados: Caminho Velho, que liga Ouro Preto a Paraty; Caminho Novo, que liga Ouro Preto ao Rio de Janeiro; Caminho dos Diamantes, entre Ouro Preto e Diamantina; Caminho do Sabarabuçu, uma extensão do caminho velho que faz ligação com o caminho dos diamantes. Embora não esteja incluído no projeto “Instituto Estrada Real”, há também o caminho até as minas do antigo Estado de Goyaz, que não fica nada atrás em beleza para os outros. Contudo, vamos no concentrar, por enquanto, nas rotas tradicionais.

Já deu para notar a vastidão e a riqueza das cidades a serem exploradas: Ouro Preto, Ouro Branco, Congonhas do Campo, Santa Bárbara, Diamantina, Serro Frio, Cunha, Parati, Guaratinguetá, Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras, Conceição do Mato Dentro, Catas Altas, Passa Quatro, Caxambu, São Lourenço, Petrópolis, São João del Rey, Rio de Janeiro… e mais 158 municípios… ufa!

E o que esperar dessa aventura de, em média, 1.400 km? Muito divertimento, fotos espetaculares, natureza, gente humilde e simples, café coado, doces e mais doces, feijoadas com ora pro nobis (nuuuu), sotaque de mineirinho, águas minerais para todos os gostos e males, cachacinhas de todos os sabores e desculpas, muitas serras, friozinho de noite, o que há de melhor em arte barroca e sacra do Brasil, muita história, fauna e flora, cachoeiras… Em fim, ao final da viagem, você vai se sentir mais próximo do nosso país, da nossa história, de parte da nossa gente simples e alegre, que adora “espiá e receber quem tá chegando”…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O que esperar da Estrada Real? Arte Barroca em Ouro Preto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O que esperar da Estrada Real? Arquitetura e História. Igreja de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O que esperar da Estrada Real? Paisagens com cinquenta tons de verde!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O que esperar da Estrada Real? Cidades charmosas como Serro Frio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O que esperar da Estrada Real? Delícias como o rocambole de Lagoa Dourada.

Quando ir?

Como já deu para perceber percorrer a Estrada Real toda vai demorar muito tempo tanto no deslocamento entre as cidades como também no deleite de cada uma delas. Assim, programe-se para fazer trechos do caminho em etapas. Há vários circuitos temáticos, os quais falaremos mais adiante.

A depender do trecho, verifique consulte o calendário dos eventos culturais e folclóricos da região. Vou colocar apenas alguns exemplos aqui para vocês:

Mês Evento Data Cidade
Janeiro – aniversário de Serro Frio 29 Serro Frio-MG
– Dia de São Sebastião

 

 

20 Conceição do Mato Dentro, Mariana, Rio de Janeiro, Ouro Preto
– Mostra de Cinema Móvel Tiradentes
– Folia de Reis 6 Em quase todos os municípios
– Bolerata em Serro Móvel Todos os meses do ano, bandas nas sacadas dos sobrados tocam valsa e bolero e as pessoas dançam nas ruas.
Fevereiro – Boi mofado (tipo Bumba meu boi)

 

Mês todo Prados
– Carnaval em várias cidades – bloquinhos de rua.

 

 

 

Móvel Destaque: Ouro Preto (bloco Zé Pereira dos Lacaios, o mais antigo do Brasil), Diamantina, Rio de Janeiro e Paraty (blocos e banhos de lama).
Março – Festa do Museu do Tropeiro 25 Ipoema, distrito de Itabira.
Abril – Festa de São Benedito

 

 

Móvel Guaratinguetá (vale do Paraíba) com congadas e moçambiques
– Festival de Mentiras

 

 

Móvel Barão de Cocais – casamento da mula sem cabeça com o lobisomem
– Quaresma (vários municípios)

 

 

 

Móvel Destaque: rituais de encomendação das almas em Mariana, Conceição do Mato Dentro, na quarta de cinzas.
– Semana Santa

 

 

 

Móvel Via crucis – Diamantina, Serro, Bom Jesus do Amparo, Mariana. Ouro Preto tem tapetes para decorar as ruas
– Semana da Inconfidência (várias cidades)

 

21 Destaque: Ouro Preto
– Festival de Bandas de Música

 

Móvel Serro Frio – encontro regional de bandas e seresta
Maio – Festa da Santa Cruz

 

 

 

 

 

3 Barraquinhas, rezas nas pontes das cidades históricas e nos cruzeiros para espantar os males. Ouro Preto (festa do amendoim na Ponte dos Suspiros), Sabará e Serro.
– Festa do Cavalo

 

1ª semana Serro – cavalgadas, rodeiro, marcha.
– Encontro de Bandas e Corais

 

Móvel Mariana
– Festa do Divino Espírito Santo

 

 

 

Móvel Destaque: Diamantina, Serro, Conceição do Mato Dentro e Sabará – Cortejo do Império e levantamento de mastro.
– Exposição Agropecuária

 

Móvel Barbacena
Junho – Festas juninas

 

Mês todo Cunha aos finais de semana e Ipoena, distrito de Itabira.
– Cavalhada

 

 

Móvel Santa Bárbara – luta entre mouros e cristão para lembrar as cruzadas. Lindo!
– Corpus Christi

 

Móvel Todos municípios com tapetes, procissões e missas.
– Festa de Santo Antônio

 

 

1 a 13 Ouro Branco – festa patrimônio cultural imaterial de MG – crenças seculares!
– Festa do Padroeiro (Santo Antônio)

 

 

 

13 Diamantina, Rio Acima, Santo Antônio do Itambé. O santo era o protetor da Coroa Portuguesa.
– Festa Junina de São João Batista

 

Móvel Sabará: quadrilha, boi-manta, seresta.
– Jubileu do Nosso Senhor do Bom Jesus

 

14 a 24 Conceição do Mato Dentro – em homenagem ao N. Sr. Do Bom Jesus do Matosinhos, ocorre desde 1787.
Julho – Aniversário de Ouro Preto 8 Ouro Preto
– Aniversário de Mariana 16 Mariana
– Aniversário de Sabará 17 Sabará
– Carnaval de Inverno

 

 

Última semana Caeté
– Eventos Culturais

 

 

Móvel Destaque: Ouro Preto, Mariana, Itabira, Sabará, São João del Rei e Diamantina.
– Julho em Tiradentes

 

Mês inteiro Vários eventos e festas
– Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP)

 

6 a 10 de julho Paraty
Agosto – Festa de N. Sra. Do Bom Sucesso

 

 

6 a 15 Caeté – festa de mais de dois séculos, com quermesses, tapetes nas ruas, shows, bailes.
– Festa de Cultura e Gastronomia

 

 

2ª quinzena Tiradentes – principal evento gastronômico de Minas… Isso deve ser bom!! J
– Semana do Aleijadinho

 

 

 

 

Mês inteiro Congonhas do Campo – niver do Aleijadinho, tem corais, gincanas culturais, serestas, teatro, dança.
Setembro – Festa de N. Sra. De Nazaré

 

 

 

7 e 8 Destaque: Caeté, Cachoeira do Campo, distrito de Ouro Preto, Santa Rita Durão, distrito de Mariana.
– Dia da Seresta

 

 

12 Diamantina: Festival de Serestas em homenagem ao niver do JK, que nasceu lá!
– Festa de N. Sra. Das Mercês

 

24 Destaque: Ouro Preto, Sabará, Mariana e Diamantina
– Festa do Queijo

 

Móvel Serro – concurso de queijos, torneio leiteiro, exposições, noite de vinhos e queijos, rainha do queijo.
Outubro – Festas de N. Sra. Do Rosário

 

 

 

 

 

Mês todo Destaque: Barão dos Cocais, Diamantina, Mariana, Milho Verde (distrito de Serro), Ouro Preto, Sabará, Ipoema – tem reinados e guardas de congado, império do divino.
– Festa de São Francisco de Assis

 

 

4 Destaque: Ouro Preto, Sabará, Mariana, Diamantina.
– Festival da Jabuticaba

 

 

Fim do mês Sabará
– Semana Drummond

 

Última semana Itabira
Novembro – Petrópolis Gourmet

 

 

Móvel Petrópolis – mais de 50 donos de restaurantes, chefs e sommeliers.
– Festival da Cachaça Móvel Conceição do Mato Dentro
Dezembro – Aniversário de Conceição do Mato Dentro 8 Conceição do Mato Dentro
– Festa da N. Sra. Da Conceição

 

 

 

 

Mês inteiro Destaque: Catas Altas, Conceição do Mato Dentro, Sabará, Serro, Ouro Preto, Caeté – tem missas, novenas, te-déum, procissões.
– Festa do Menino Jesus

 

 

24 e 25 Destaque: Ouro Preto, Itabira e Diamantina. Concurso de presépios.
– Festa de N. Sra. Do Rosário

 

 

 

 

 

 

 

31 Conceição do Mato Dentro – cortejo do reinado, banda de Pipiruí, composta de pífanos e tambores, Guardas de Marujos e Catopês e Candombê.

Ouro Preto – missa cantada e procissão.

– Réveillon 31 Rio de Janeiro – praia de Copacabana

Fonte: Instituto Estrada Real Brasil. Empresa das Artes. p. 243-247. Mas a tabela é de minha autoria. J

Ufa! Um montão de coisas, né? E olha que é só uma amostra! Você pode ver mais coisas no site do próprio Instituto da Estrada Real (aqui) ou mesmo procurar pelo site de cada cidade que pretende visitar.

Uma dica geral é evitar o fim do ano por conta das chuvas torrenciais em Minas, São Paulo e Rio de Janeiro, o que deixa as estradas mais perigosas, uma vez que elas já são cheias de curvas. É comum enchentes dos rios, o que pode prejudicar seu passeio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Mercado de Diamantina, amanhecendo com a neblina!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu da Xica da Silva, Diamantina.

Como ir?

A grande viagem mesmo é feita de carro, no seu próprio ritmo, na qual você descansa para esticar as pernas, comer um trenzinho gostoso aqui, ali, comprar um negocinho lá do outro lado, conforme suas necessidades. Se você tiver um carro 4×4 ou 4×2 é muito melhor, porque lhe proporciona liberdade de maior locomoção entre os trechos de terra da Estrada Real, que, apesar de a maioria ser bons, tem uns entroncamentos difíceis. Além disso, se você gosta de esticar em uma cachoeira, esse utilitário traz mais conforto e segurança. Se você não tiver um 4×4, também sem problemas… nós fizemos quase toda a Estrada Real toda em um Renault Clio 1.6 e não furamos sequer um pneu.. mas teve momentos com muita emoção que rimos até hoje! A Serra do Mar dá lembranças… hehehe

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A nossa pequena Clio passando sobre a ponte do ainda tímido e recém-nascido Rio Jequitinhonha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Clio sofreu para subir essa ladeira que estava escorregadia! Mas devagar se vai ao longe! hehehe

Quanto à segurança, as estradas são boas, mas há muito tráfego de caminhões enormes das mineradoras de Minas e também muitas curvas. Todo cuidado é pouco. Minas é campeã brasileira de acidentes de trânsito. Pelo amor de Deus, não vire estatística: dirija com prudência e se for degustar as fortes cachaças, aproveite para dormir na cidade e descansar!

Para quem curte a cavalgada, há vários passeios a cavalo promovidos por grupos especializados. Clique aqui para ter uma ideia. Em São João Del Rey, encontramos com uma tropa bem animada que estava fazendo um grande trecho da Estrada Real.

Trilhas para os amantes da bike há de montes! E também passeios já prontos. Veja aqui alguns exemplos.

Se você for fazer um trecho pequeno, por exemplo, apenas Ouro Preto e Mariana, é possível ir de ônibus, tendo como base Belo Horizonte. Se você não é da região, pegue um voo para Beagá (BH, Belo Horizonte) e de lá um ônibus para Ouro Preto, que fica pertinho, 97 km, de curvas e mais curvas. Um caminho lindo por entre as Serras Gerais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Milho Verde, lindinha demais!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ouro Branco e sua Serra do “Deus te livre”!

Com quem ir?

Como existem vários roteiros interessantes dentro da Estrada Real, você pode fazê-los em etapas. O ideal para esse tipo de viagem é uma dupla! Encontre um parceiro bacana para revezar no volante e também ser o copiloto! Compre livros sobre as cidades, sobre o caminho e vá lendo durante o trajeto. É super divertido! Um deles é a incrível coleção “Viagem pelo Brasil”, escrito pelos biólogos Spix e Martius, espiões da Alemanha, que foram enviados ao Brasil para contar tudinho ao rei da Bavária sobre nossas riquezas. O livro é o conjunto dos diários deles e é um primor! Eles descrevem as cidades incipientes, a fauna, a flora, os caminhos de uma forma acadêmica e muito interessante! Aproveite a viagem para ampliar seus conhecimentos! Os livros são esses aqui!

IMG_4538

Verdadeiras joias sobre a história, flora e fauna brasileira!

Se você não conseguir um parceiro, pode ir sozinho mesmo, o que também não impede de se preparar com boa leitura para acompanha-lo! Ah! Separe também uma trilha sonora tipo Eddie Vedder (escuta aqui que você vai curtir), que combina com a paisagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cruzes nas pontes de São João del Rey. O povo faz missa aqui!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

É uma infinidades de Igrejas com pórticos lindos!

De grupo também é bacana viajar pela Estrada Real, por conta das cachoeiras, das cachaças e de todos os tempos livres de descanso que podem ser utilizados em jogos de tabuleiro ou mesmo em um bom baralho.

Sinceramente, legal mesmo é ir independente, porque você controlará seus horários, calculará, conforme seus interesses, a quantidade de dias em cada lugar. Contudo, para o pessoal que curte excursão, saindo de Belo Horizonte, há várias excursões que fazem alguns trechos da Estrada Real.

Contudo, mesmo que você opte em viajar independente, a depender de seus gostos, acredito que compense contratar guias locais nas principais cidades como, por exemplo, Ouro Preto, Diamantina, Tiradentes, São João del Rey, Mariana, Congonhas, porque há muita história e detalhes interesses que apenas a leitura rápida de alguns poucos livros de viagem não conseguirão suprir. Há uma série de informações sobre cada ordem religiosa, detalhes na arte e arquitetura que te impressionarão. Assim, quando chegar à cidade, procure pelo centro de informações turísticas e indague por um guia local. Você ficará mais inteligente e ajudará a crescer o turismo na região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Passeio de Maria Fumaça em São Lourenço! Há também um entre Tiradentes e São João Del Rey. No caminho, a cantoria dá gosto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A maior cachoeira de Minas, Tabuleiro, próximo ao município de Conceição do Mato Dentro. Esplêndida!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O famoso “Seu Juquinha” da Serra do Cipó, pirtinho de Beagá!

Como se preparar?

Primeiro de tudo, malhe bastante e comece uma dieta hoje, ainda na fase do planejamento! Sério, a Estrada Real engorda! Cuidado! Eu engordei 5 kg! É tanta comida boa por lá que você não vai e nem deve resistir… tem que comer mesmo… leitoa à pururuca com orapronobis, docinhos de leite, pés-de-moleque… aiai.. Assim, se quiser evitar essa roliçagem toda, comece a dieta antes da viagem! Mas já prevendo o pior, leve roupinhas mais largas… você vai precisar!

Já fizemos um post geral de como se preparar e planejar uma viagem, clique aqui, que pode ajuda-lo a ter ideias bacanas para sua própria aventura. Todavia, coloquei abaixo dicas mais específicas para a Estrada Real, que vão ajuda-lo a apreciar mais o caminho! Afinal, quem não gosta de ler algo previamente e lembrar quando se está diante da atração de curiosidades sobre ela?

Como eu sou mineira e amo a Estrada Real, tenho um acervo considerável de material sobre o passeio. Você não precisa disso tudo não… recomendo adquirir, na estante virtual (um site em que há a reunião dos sebos mais importantes do país com preços camaradas), livros da Estrada Real: 1) Instituto Estrada Real Brasil (clique aqui); 2) Estrada Real de Minas – guia e roteiro ecoturístico (clique aqui); 3) Caminhos do Sabor (Clique aqui); 3) Viagem pelo Brasil (clique aqui); 4) Roteiros da Estrada Real (clique aqui). A grande maioria desses livros é editada pela editora Empresa das Artes (clique aqui), que tem um acervo incrível para quem ama viajar pelo Brasil. Super-recomendo!

IMG_4543

Minha coleção da Estrada Real!

Além de livros sobre a própria rota, selecione algumas poesias do Drummond e também trechos do Guimarães Rosa, dois grandes escritores mineiros que foram muito capazes em descrever a beleza das Minas Gerais. Com certeza, eles são inspirações para bons momentos e excelentes fotos!

Colha informações sobre os lugares nos próprios sites das cidades e também nesses aqui: Instituto Estrada Real (clique aqui), Instituto Chico Mendes (clique aqui). Aproveite e curta também a página do Instituto Estrada Real no facebook para receber dicas fresquinhas e fotinhas inspiradoras (clique aqui)!

O programa da rede Globo, Globo Repórter, fez uma edição do Caminho dos Diamantes e você pode conferir nesse link aqui e começar a se animar para a viagem!

Outra super dica é assistir a minissérie “A Muralha” (clique aqui), também da Globo Produções, que é uma pérola para nossa imaginação em reconstruir a vida e as aventuras dos bandeirantes, dos desbravadores desse Brasil até então selvagem. Imagina só como era, à época, subir e descer a Serra do Mar, densa, úmida e cheia de animais ferozes? E isso a pé… hoje você estará em uma rodovia asfaltada e com ar condicionado!

IMG_4522

Mapa dos caminhos principais da Estrada Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Congonhas do Campo, a cidade onde há a concentração das esculturas do Aleijadinho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

As fontes de águas mineiras de São Lourenço! Muito legal provar todos os tipos de águas medicinais!

Bom, falei muito para um post introdutório. No próximo, teremos dicas de roteiros bacanas (estrada toda, Caminho Velho, Caminho Novo, Caminho dos Diamantes, Caminho do Sabor, Caminho da Natureza, Caminho da Arte Barroca etc.) e a duração média de cada um! Aguardem!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Instituto Eschwege, em Diamantina!

1 comentário

  1. Marilza

    Minha querida, obrigada pelo carinho. Só hoje tive tempo de degustar.muito, muito, muito obrigada. Beijo grande.

E o que você achou dessa viagem? Não deixe de compartilhar com a gente as suas impressões!