«

maio 25

Conheça a Terra Santa – Monte Nebo e Madaba

monte nebo

Proximidade da Igreja Memorial de Moisés, Monte Nebo, Jordânia.

Viajar pela Terra Santa é viajar pela história da nossa civilização. Você anda um pouco e se depara com um lugar de um evento importante na Bíblia, mais um pouco e descobre uma ruína romana e, depois de mais três passos, com os vestígios dos recentes conflitos árabe-israelense. É uma overdose de história. Sem dúvida conhecer essa história torna muito mais interessante qualquer passeio por esse incrível lugar.

São muitas histórias e muitos começos. E um desses começos é precisamente a fuga dos hebreus do Egito para a Terra Santa, guiada por Moisés, e essa história está estreitamente associada com um dos principais pontos turísticos da Jordânia: o Monte Nebo.

Então, viaje com a gente novamente para a Terra Santa e para o Monte Nebo, e conheça os mistérios desse incrível lugar.

Monte Sinai, Egito.

Monte Sinai, Egito (fonte: Wikipedia). Aqui Moisés recebeu as famosas tábuas com os 10 mandamentos, que foram guardadas numa arca (aquela mesma do Indiana Jones), que depois foi levada para o Templo de Salomão, mas hoje ninguém sabe onde está, talvez na Etiópia (levada pela Rainha de Sabá, casinho do Salomão) talvez em outro lugar. É um dos grandes mistérios da humanidade.

O Êxodo do Egito

A Bíblia conta que, guiados por Moisés, o povo hebreu fugiu da escravidão no Egito, e, depois de perambular por 40 anos no deserto, chegaram à Terra Prometida. 40 anos. Sempre fiquei muito impressionado com essa parte do Antigo Testamento. Ao longo dos anos, várias pessoas tentaram e conseguiram a façanha de atravessar o mundo a pé. Em geral, o feito demora aproximadamente 04 anos com alguma preparação. Os hebreus demoraram 40 anos para atravessar do Egito para o atual território de Israel. Olhe no mapa (ou confie em mim, é bem perto). É impressionante. Imagine o número de círculos que eles tiveram que dar.

Mapa de parte do Oriente Média. Preste atenção na distância entre o Egito e Israel. Os hebreus demoraram 40 anos vagando pelo espaço entre esses dois países.

Mapa de parte do Oriente Média. Preste atenção na distância entre o Egito e Israel. Os hebreus demoraram 40 anos vagando pelo espaço entre esses dois países.

Mas na Bíblia, essas andanças têm um sentido. Seria uma punição providenciada por Deus, em razão da desobediência e a falta de fé que o povo hebreu teria demonstrado. Isso porque, apesar de terem visto as pragas do Egito e da garantia dada por Deus de que daria a Terra Santa para eles, os hebreus não acreditaram que seriam capazes de expulsar os povos que na época lá habitavam. Por isso, ele amaldiçoou o povo hebreu a vagar 40 anos pelo deserto, até a geração atual morrer, sem ter colocado os pés na Terra Santa. Na verdade, Deus queria matar todo mundo (de novo, como fez no Dilúvio), mas Moisés com jeitinho convenceu Ele de uma solução intermediária (Números 14). Entre outros argumentos, Moisés ponderou que, se Deus matasse os hebreus, os outros povos diriam que: Porquanto o Senhor não podia pôr este povo na terra que lhe tinha jurado; por isso os matou no deserto (Números 14: 16). Moisés sabia ser bem convincente, apesar alguns dizerem que ele era gago.

Assim, pelo que conta a Bíblia, foi a própria falta de fé dos hebreus que retardou em 40 anos a sua entrada na Terra Santa. Eles não demoraram 40 anos para atravessar do Egito para Israel, mas ficaram vagando pela região sem coragem para entrar na Terra Santa.

Infelizmente, hoje é muito perigoso visitar a região do Sinai (Egito), por causa da presença do Estado Islâmico na área. Enquanto estávamos visitando Cairo, um grupo de turistas mexicanos que visitavam o Sinai foi sequestrado e morto por fanáticos islamitas desse grupo radical. Nós não visitamos o Sinai.

monte nebo

Monte Nebo, Jordânia.

A morte de Moisés no Monte Nebo

Todo mundo conhece o início da história de Moisés. Ele foi achado numa cestinha e criado no luxo da corte do Faraó. Depois, deixa tudo para trás para lutar pelos oprimidos (o povo hebreu), utilizando, para isso, dos seus superpoderes (milagres e pragas enviadas por Deus). Ele tem inclusive um parceiro (seu irmão Aarão) na luta contra o Mal. Essa parte da história de Moisés é tão épica que já rendeu inúmeros filmes e desenhos animados e novelas.

Se essa história lhe soa familiar, é porque a maioria das histórias antigas seguem certos padrões estruturais, que continuam a ser seguidos nos livros, filmes e histórias em quadrinhos dos dias de hoje. É o caso, por exemplo, do herói que possui uma origem que, no início, lhe é secreta, e que lhe confere poderes especiais, e que, ao descobri-la, emprega esses poderes para cumprir a sua missão, como é o caso tanto do Rei Artur quanto do Superman, ou ainda do Jon Snow do Game of Thrones.

Mas voltando a Moisés, embora o início da sua história seja bem conhecido, a história da sua morte é menos difundida.

Monte Nebo, Jordânia.

Monte Nebo, Jordânia.

Conta a Bíblia que, depois de caminhar 40 anos no deserto, os refugiados hebreus finalmente chegaram nas proximidades da Terra Santa, numa região da atual Jordânia próxima do Rio Jordão. Assim, de acordo com Deuteronômio 34, nas vésperas de eles finalmente entrarem na Terra Santa, Moisés subiu num monte próximo, chamado até hoje de Monte Nebo, para meditar. Lá em cima, Deus mostrou a vista da Terra Santa para Moisés, afirmou que Moisés não ia entrar nela, e Moisés morreu. Ou seja, Moisés caminhou 40 anos no deserto e morreu na praia no auge dos seus 120 anos.

Hoje, no topo do Monte Nebo, existe um santuário cristão, em homenagem ao local da morte de Moisés, embora ninguém saiba o local exato de sua morte ou onde ele está efetivamente enterrado. Aliás, o corpo de Moisés teria sido escondido por Deus, para evitar que os hebreus passassem a adorar a memória de Moisés, já que eles tinham maus antecedentes na adoração de idólos.

madaba

Madaba, Jordânia. A cidade de Madaba foi conquistada pelos hebreus logo antes de chegarem na Terra Santa. Hoje é conhecida pelo fantástico mapa de mosaico localizado na atual Igreja de São Jorge. Ele retrata o Oriente Médio na Século VI, e, além da grande beleza, possui enorme significância histórica.

Mas porque Deus não permitiu que Moisés entrasse na Terra Santa? Tudo começou nas andanças dos hebreus pelo deserto. Faltava água, e os homens e os animais tinham muita sede. Deus então ordenou que Moisés, diante dos hebreus, falasse com a rocha, e dela jorraria água. Em seguida, Moisés reuniu o grupo e disse: “Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós?” Então Moisés levantou a sua mão, e golpeou a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu muita água, e todos beberam. Contudo, diante disso, Deus disse a Moisés: ” porquanto você não confiou em mim o suficiente, para me honrar diante dos filhos de Israel, você não irá introduzir essa comunidade na terra que lhe dei” (Números 20: 10-12).

Quando escutei essa história pela primeira vez, pensei “Lá vai o Deus do Antigo Testamento de novo, sempre se comportando como um pai rancoroso e excessivamente severo ou uma criança mimada”. Mas existe uma explicação para isso, ou ao menos uma interpretação que torne esse comportamento menos abusivo. No incidente do deserto, Moisés teria não só desobedecido o comando de Deus diante de toda comunidade, já que golpeou a pedra ao invés de falar com ela, mas também tomou para si a autoria do milagre, ao não o atribuir expressamente a Deus. Ou seja, Moisés seria culpado por desobediência e orgulho (e violação de direitos autorais), e, por isso, teria sido punido com a morte às portas da Terra Santa.

Fronteira entre Egito e Israel, no Deserto do Sinai (fonte: Wikipedia).

Fronteira entre Egito e Israel, no Deserto do Sinai (fonte: Wikipedia). Nos dias de hoje, se um grupo de refugiados chegar nessa fronteira, dificilmente conseguiria entrar em Israel.

Passear pela Terra Santa é isso, pessoal. É como caminhar pelas páginas da Bíblia ou do Corão, com os seus personagens e acontecimentos repletos de simbologia. Moisés é considerado um grande profeta por judeus, cristãos e muçulmanos, e a sua história une essas três grandes religiões, tão próximas entre si, apesar do que muitos radicais defendem.

O Monte Nebo e Madaba ficam no caminho entre Amã (capital e local do principal aeroporto da Jordânia) e maravilhosa Petra. Vale à pena um pequeno desvio de uma hora e meia para conhecer esses dois lugares tão cheios de significado.

Se você curte história e cultura e religião, a Terra Santa é um dos melhores destinos do planeta. Em outro post, já trouxemos várias dicas para montar o seu roteiro na região (clique aqui). Do contrário, caso o mais importante para você seja paisagens de tirar o fôlego, existem destino mais atrativos, como a Tailândia (clique aqui), o Chile (clique aqui) e a Noruega (clique aqui).

A primeira referência arqueológica ao povo de Israel

Merneptah_Israel_Stele_Cairo

Estela de Merneptah, Museu do Cairo, Egito.

Datada aproximadamente de 1209 a.C, a Estela do Merneptah comemora as proezas militares do Faraó Merneptah na região da atual Terra Santa. Entre outras, a estela menciona a vitória egípcia sobre o povo de Israel. É a mais antiga menção ao povo de Israel entre os registros históricos até hoje disponíveis. Uma estela é uma tábua de pedra com o topo arredondado, em que eram escritas mensagens, e aqui serviu como peça de propaganda, no sentido de dizer a todos quão forte e vitorioso e abençoado pelos deuses era o faraó. Merneptah é filho de Ramsés II, e os dois são os principais candidatos a serem o faraó descrito na Bíblia.

2 comentários

  1. olivencabrmila

    Gostaria de saber se precisa de visto para ir ao monote nebo.

    1. Bernardo

      Desculpe-me na demora da resposta.

      O Monte Nebo localiza-se na Jordânia, e os brasileiros precisam de visto para entrar nesse país. Como moramos em Brasília, conseguimos o visto aqui na Embaixada da Jordânia. Mas a princípio você pode obter o visto também ao chegar na Jordânia. Fica a seu critério. Mas antes de viajar não deixe de checar essa informação no próprio site do governo jordaniano (http://international.visitjordan.com/generalinformation/entryintojordan.aspx), pois eles podem mudar essas regras sem prévio aviso, embora a Jordânia seja um país bem estável e tranquilo (apesar dos seus vizinhos). O nosso conselho é que, sendo possível, você já saia do Brasil com o visto, ou que o seu operador de turismo te assegure que não haverá problemas. Viagem é para descansar e curtir, e não para se estressar.

E o que você achou dessa viagem? Não deixe de compartilhar com a gente as suas impressões!